Não perca tempo. Agende já sua consulta ou exame.

Colesterol alto: O que é e como identificar?

por

Ao contrário de outras doenças proporcionadas por maus hábitos alimentares ou vida sedentária, por exemplo, o colesterol não apresenta sintomas.
Trata-se de uma doença silenciosa, que só pode ser descoberta através de exames, ou quando apresentar consequências na forma de infartos ou derrames.

Silencioso e fatal, o colesterol alto pode causar infartos, caso não seja devidamente identificado (Foto: Reprodução)

Saber o que é colesterol alto e como tratá-lo é o primeiro passo para ter uma melhor qualidade de vida.

Essa doença afeta grande parte dos brasileiros, mas pode ser facilmente controlada, com acompanhamento de especialistas e hábitos saudáveis.

Por isso, é fundamental conhecer mais sobre o que é colesterol alto, quais os níveis aceitáveis e como identificar os sintomas de uma possível desordem no organismo.

Confira todos os detalhes a partir de agora.

O que é colesterol alto?

Antes de mais nada, é importante entender que o colesterol, como um todo, é apenas uma gordura produzida pelo organismo.

Ou seja, desempenha um papel fundamental na manutenção das atividades do sistema e do equilíbrio corporal.

No entanto, o colesterol passa a ser um problema quando é desregularizado, por uma série de fatores.

Seu excesso no corpo humano pode causar, principalmente, doenças fatais no coração.

A princípio, o colesterol é produzido naturalmente pelo organismo, e se associa à proteínas, gerando lipoproteínas que podem percorrer as veias com maior facilidade.

Entretanto, essa união origina dois tipos de lipoproteínas, também conhecidas como dois tipos de colesterol.

O colesterol HDL significa High Density Lipoproteins, ou Lipoproteínas de Alta Densidade. Ele é chamado de “colesterol bom”, pois leva o colesterol das artérias para o fígado.

Ou seja, suas gorduras são saudáveis e ajudam o corpo.

Enquanto isso, existem o LDL, ou Low Density Lipoproteins, as Lipoproteínas de Baixa Densidade.

Nesse caso, trata-se do “colesterol ruim”, pois em vez de serem levadas ao fígado, as gorduras acabam parando nos tecidos, podendo obstruir as artérias.

Sendo assim, colesterol alto nada mais é que níveis acima do normal do LDL.

Níveis de colesterol

Para medir os níveis de colesterol, é necessário fazer hemogramas periodicamente. Todos os médicos podem solicitar esse teste.

A Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) determina os seguintes índices:

  • Colesterol total: menor que 190 mg/dl;
  • HDL: maior que 40 mg/dl;
  • LDL: menor que 130 mg/dl.

Esses valores são tabelados com base em um adulto maior de 20 anos.

Além disso, é preciso ficar atento para os riscos cardiovasculares de pessoas com níveis muito abaixo de LDL.

Para ser diagnosticada com colesterol alto, o paciente deve consultar um médico e avaliar os resultados que ultrapassarem esses números.

Qual o médico responsável?

Existem vários médicos e profissionais de saúde que podem ser responsáveis por acompanhar o colesterol alto.

A princípio, um clínico geral pode solicitar o exame e fazer o diagnóstico inicial, identificando o problema e sua gravidade.

A partir disso, poderá encaminhar para um especialista. O mais comum é a indicação de um cardiologista ou gastroenterologista.

Dessa forma, todas as medidas necessárias poderão ser tomadas para cuidar do colesterol e identificar suas consequências.

Além disso, também se indica a procura de um nutricionista, responsável por acompanhar a dieta do paciente e realizar mudanças mais práticas dos hábitos alimentares.

Quais os riscos do colesterol alto para a saúde?

Uma vez que o colesterol é um tipo de gordura que é transportada pelas artérias, se sua composição não for adequada, ele poderá obstruir a passagem.

Em um primeiro momento, as lipoproteínas podem começar a se depositar nos vasos, sem conseguir serem transferidas corretamente para o fígado ou para o coração.

No entanto, quanto mais gordura for depositada, maior a pressão nas artérias, além de impedir a passagem de componentes como a fibra e o cálcio.

Assim, as paredes dos vasos começam a enfraquecer, correndo o risco de infecção e rompimento.

Quando as artérias se rompem, acontece o temido infarto, ou ataque cardíaco.

Além disso, a falta de componentes saudáveis para as demais partes do organismo também podem causar um derrame.

Ambas as incidências são graves para o paciente, e podem deixar sequelas irreversíveis.

Quais os sintomas do colesterol alto?

Ao contrário de outras doenças proporcionadas por maus hábitos alimentares ou vida sedentária, por exemplo, o colesterol não apresenta sintomas.

Trata-se de uma doença silenciosa, que só pode ser descoberta através de exames, ou quando apresentar consequências na forma de infartos ou derrames.

Por isso, é fundamental acompanhar periodicamente esses níveis, através de hemogramas completos e visitas ao médico.

Ao contrário do que se pensa, o colesterol alto não provoca dores de cabeça, tonturas, fadiga ou dores no peito.

No entanto, muitas pessoas com colesterol acima do indicado descobrem a incidência da doença por esses sintomas.

Isso acontece porque níveis elevados de gordura costumam se associar com outros problemas no organismo.

Assim, o colesterol se relaciona com essas disfunções e pode ser descoberto a tempo. Mas o ideal é verificar com o médico em consultas regulares.

A receita para tratar colesterol alto? Uma velha conhecida: alimentação e exercícios (Foto: Reprodução)

Como tratar o colesterol alto?

Assim como o colesterol alto é uma doença silenciosa, sem sintomas, ele pode ser tratado através da mudança de hábitos.

As principais causas dessa doença estão relacionadas a má alimentação e vida sedentária.

Ou seja, é necessário comer melhor e fazer exercícios físicos diariamente, além de acompanhamento médico.

Em alguns casos, pode ser indicado o uso de remédios que possuem estatinas, para reduzir os níveis de gordura de maneira mais incisiva.

No entanto, as recomendações mais saudáveis são alterar a rotina alimentar e fazer atividades constantemente.

Alimentos que produzem gordura

Existem alguns alimentos que produzem os dois tipos de gordura, para o HDL e LDL. Assim, é preferível aumentar o consumo de determinados grupos, e diminuir outros.

Os alimentos que produzem gordura boa são:

  • Azeite de oliva;
  • Canola;
  • Abacate;
  • Nozes;
  • Linhaça;
  • Sardinha;
  • Salmão.

Por outro lado, alimentos que aumentam a gordura ruim são:

  • Aves com pele;
  • Queijos amarelos;
  • Embutidos e processados;
  • Maionese;
  • Leite;
  • Carne vermelha;
  • Frituras em geral.

Sendo assim, é importante equilibrar a dieta de acordo com os maiores consumos identificados, e substituir por alimentos saudáveis.

Por que acompanhar o meu colesterol?

O colesterol alto é uma doença silenciosa, que não aparece até que seja tarde demais.

Por isso, é fundamental acompanhar os níveis de gordura regularmente, através de exames e consultas ao médico.

Como não apresenta sintomas, o colesterol se torna ainda mais perigoso, podendo deixar sequelas irreparáveis.

Dessa forma, é essencial não apenas identificar a doença, mas ter hábitos saudáveis e uma dieta equilibrada, para manter o organismo funcionando corretamente.




Voltar ao topo WhatsApp